Poesia para Miguel

Ouvi a sua fala.

Me emocionei.

Te digo, irmão, me deu vontade

De me pintar de preto

Pra lutar, resistir, encarar junto contigo

Os olhares tortos dos olhos azuis.

Com mais propriedade

Com uma pele negra.

Mas mesmo sem essa pele forte

Mesmo com essa pele frágil e prepotente

Estou do teu lado.

Me indignando e transformando

A dor da opressão

Em combustível para lutar

Em exagero.

Debater exageradamente

Denunciar exageradamente

Esse racismo cada vez mais

Extremamente evidente

Esse poema foi escrito pelo brother branco Adelson Silvestre Jr. e recitado no primeiro espaço amplo do Coletivo NegreX em Janeiro de 2015.

Advertisements
Standard